Óleo Mineral, vilão ou mocinho?

Hoje aqui no Dicas Para O Cabelo, o artigo fala sobre o óleo mineral. Será que óleo mineral é tão ruim assim para você usar? Vem comigo :)


Óleo mineral (Paraffinum Liquidum/Parafina Líquida - Mineral Oil/Óleo Mineral - Petrolatum/Petrolato).

"É um produto secundário derivado do petróleo cru através do beneficiamento por aditivos. É um óleo transparente, incolor e quimicamente quase inerte. É um produto de baixo custo, produzido em grandes quantidades”. (Texto retirado do Wikipédia).

O óleo mineral quando usado em cosméticos é refinado e purificado, sendo seu uso controlado pela ANVISA, FDA e diversos outros órgãos internacionais, não causando câncer e que inclusive existem várias pesquisas comprovando.

Antes de continuar a falar sobre o óleo mineral, deixo claro que tudo o que estou digitando aqui tem haver com pesquisas que venho fazendo há alguns anos sobre produtos para cabelo, portanto, não é uma pesquisa recente. Por conta disso não possuo links como referência, mas se fizerem pesquisas, com certeza encontrarão sobre tudo o que digo aqui.

Continuando...

O óleo mineral funciona como uma capa, ele fica sobre as cutículas dos fios capilares, portanto, não é absorvido pelo córtex. Aí você me pergunta: Sendo assim Paula, então, porque vou querer usá-lo? Continue lendo para tirar sua conclusão ;)

Comparando o óleo mineral com o óleo vegetal:

O óleo vegetal pode ser usado para tratamento capilar e o óleo mineral pode ser usado para eliminar o frizz e também para dar peso ao cabelo que possui muito volume, ou seja, retira o volume do cabelo, mas não para por aqui.

Como o óleo mineral é insolúvel, é então o melhor a ser utilizado como proteção térmica. Como eu disse anteriormente ele forma uma capa protetora sobre os fios, causando assim uma barreira entre o calor (da chapinha ou do secador de cabelo) e os fios capilares.

Como os fios capilares não absorvem o óleo mineral, o mesmo consegue manter os cachos por muito mais tempo. Ele também reflete a luz por onde você passa, causando assim um efeito de cabelo brilhoso. Devido a tudo citado aqui, por fim acaba selando a cutícula, já que o mesmo não permite a penetração de umidade externa nos fios capilares, assim como também não deixa os produtos que foram depositados nos fios saírem.

Apesar do óleo mineral ser insolúvel, o mesmo é retirado tranquilamente com o uso do shampoo. Não importa se o shampoo é antiresíduos ou shampoo comum. Até mesmo, o shampoo sem sulfato consegue removê-lo. Todo shampoo tem poder de limpeza, portanto, qualquer shampoo consegue removê-lo tranquilamente. Lembrando que é sempre bom usarmos shampoo anti-resíduos de quinze em quinze dias. Falarei mais sobre isso daqui a pouco.

Para quem não sabe, existem métodos de lavagem de cabelo chamados co-wash, low poo e no-poo, mas muitos não sabem que o óleo mineral pode ser usado. Como eu disse acima, os shampoos que não possuem sulfato conseguem lavar muito bem os fios capilares, e muitos pensam que para lavar o cabelo é preciso fazer espuma, mas não é bem assim. Quanto menos espuma, menos sulfato tem os shampoos, menos agressão causará aos fios capilares e estarão lavando os cabelos tão iguais aos shampoos com sulfato, porém, o cabelo estará mais saudável, sem o aspecto de ressecamento que o sulfato causa.
Lembra o que eu disse, sobre o óleo mineral servir somente como capa nos fios capilares? Não penetra, portanto, não chega ao córtex? Por isso mesmo, ele é tão facilmente removido dos fios ao utilizar shampoo.

Por quê o uso do óleo mineral e não o óleo vegetal nos produtos como, por exemplo, máscaras capilares?
Muitos fabricantes usam sim o óleo vegetal em suas máscaras capilares, mas os óleos vegetais encarecem o produto, por isso, muitos acabam dando preferência ao óleo mineral, pois seu custo é muito inferior ao óleo vegetal.
Mas Paula, eu já vi fabricantes venderem máscaras capilares caríssimas possuindo como um de seus componentes o óleo mineral ao invés do óleo vegetal. O que você me diz sobre isso? Eu digo o seguinte: você viu a consistência do produto? Existem produtos que possuem uma quantidade muito pequena do óleo mineral, quase que insignificante. O óleo mineral é muito utilizado como um veículo para os ativos contidos em um produto, portanto, ao invés de se preocupar com os componentes de um rótulo, verifique a consistência do produto. Se a máscara for encorpada, ótimo!


Eu mesmo possuo uma máscara capilar de reposição de massa maravilhosa e em seu rótulo está estampado “silicone”, mas quando você abre o pote e vira de cabeça para baixo, você não vê uma gota se quer da máscara se mover no pote.


Apesar do silicone (derivado do cristal de rocha quartzo) e o óleo mineral (derivado do petróleo cru) serem distintos, ambos causam o mesmo efeito no cabelo. A única diferença do silicone para o óleo mineral é o fato de existirem silicones insolúveis e solúveis em água, já o óleo mineral só existe insolúvel, então, quando eu me refiro a uma máscara com silicone insolúvel, o mesmo vale para uma máscara com óleo mineral.

Paula, você está me dizendo que eu posso usar produtos com óleo mineral por um mês, por exemplo, e eu não terei problemas com meu cabelo? O que eu quero dizer é que você não deve encarar o óleo mineral como inimigo. Na verdade você deve aprender a usá-lo.

Se você utilizar produtos com óleo mineral durante uma, duas, três ou quatro semanas, sem lavar o seu cabelo um dia se quer, o seu cabelo ficará pesado ao extremo e os nutrientes dos produtos que você utilizar, não terão mais efeito porque não conseguirão penetrar nos fios. Seu cabelo ficará ressecado, porque nem mesmo a água conseguirá penetrar no córtex que é a camada interna dos fios que recebe os nutrientes.

Agora, se você lavar o seu cabelo todo dia ou de dois em dois dias, cada lavagem que você fizer, removerá o óleo mineral do seu cabelo, portanto, nesse caso não vejo problema algum usá-lo, pelo contrário! É bom até para fazer tratamento capilar. Lembra do que eu disse no início do artigo? O óleo mineral impede a entrada e a saída de resíduos devido a película protetora que se forma em volta dos fios.

Existe um shampoo que devemos utilizar de 15 em 15 dias, cheguei a citar este shampoo no início do artigo. O shampoo que devemos utilizar de 15 em 15 dias é o que chamamos de antiresíduos. Este shampoo remove por completo todo o excesso de resíduos deixado por diversos produtos químicos em nosso cabelo.

Quando o seu cabelo chega ao ponto de nem mesmo o shampoo comum (com sulfato ou sem) conseguir remover o excesso de produtos químicos do seu cabelo, chegou a hora de usar o antiresíduos. Lembrando que ao usar o antiresíduos, é necessário fazer uma hidratação nos fios capilares, ou seja, fazer uma reposição hídrica (repor água) no cabelo.


Dica: Cabelos danificados por química devem evitar o uso de shampoo antiresíduos. O shampoo antiresíduos abre a cutícula capilar para remover resíduos e um cabelo danificado por química já possui a cutícula aberta, portanto, não aconselho que use.

Resumindo, o óleo mineral (Paraffinum Liquidum/Parafina Líquida - Mineral Oil/Óleo Mineral - Petrolatum/Petrolato) não hidrata, não nutri e muito menos reconstrói os fios capilares. Mas o seu uso é importante para eliminar o frizz, remover o volume do cabelo, proteger o cabelo da escova e da chapinha, dar brilho e selar a cutícula já que o mesmo não permite a penetração de umidade externa nos fios capilares, assim como também não deixa os produtos que foram depositados nos fios saírem, portanto, é muito bom utilizá-lo após o uso das máscaras capilares.

Entendeu a importância de não encarar o óleo mineral como inimigo?


Eu não tenho intenção de criar polêmica com esse artigo. Eu sei que muitos tem opinião contrária da minha. Eu estou apenas passando o meu ponto de vista com relação a tudo que eu li sobre o óleo mineral, portanto, agora cabe a você chegar a sua própria conclusão.

Lembrando que o óleo mineral é usado desde o tempo da tataravó e é possível no mundo atual encontrarmos pessoas, com 100 anos de idade tendo o cabelo saudável. Você acha que essas pessoas tiveram a preocupação de comprar produtos capilares sem óleo mineral? Nasci na década de 70 e sempre usei produtos com óleo mineral. Somente de alguns anos para cá foi que resolveram transformar o óleo mineral em vilão. Um óleo que é usado para uso tópico e oral por adultos e crianças a partir de seis anos desde como eu disse o tempo da tataravó.

E aí, o que o óleo mineral é para você, vilão ou mocinho? Eu espero que tenha gostado das Dicas Para O Cabelo de hoje :)



Deseja saber como utilizar shampoo, condicionador e máscara? Clique aquiDeseja saber sobre Cronograma Capilar? Clique aqui.

Atenção! Todas as resenhas que eu faço são baseadas nas minhas experiências, portanto, o fato de um produto ter dado certo comigo, não significa que dará certo com você ou vice versa, por isso, é natural que algumas pessoas gostem dos produtos e outras não.